PELA HUMANIDADE 

A humanidade passa por um momento de evolução marcado por grande "suicídio moral" onde pessoas morrem de fome e o consumo materialista passou a ser a maneira mais "normal" de se viver. O egoismo é evidente e quem não for do nucleo familiar, esta de fora, e não precisa receber a mínima compaixão.

Não se precisa ir até a Africa para vermos quão egoistas nos tornamos. A cada esquina de uma cidade, a cada irmão caido no chão, muitas  vezes devido a um vício ou a falta de oportunidade,  a cada familia pobre que não tem o que comer, nós fingimos não ver e passamos omissos; Poderíamos ajudar?  Sim, claro que podemos, por exemplo ajudando ONGs que atuam nestes problemas: conscientizando, resgatando e dando oportunidade pra quem precisa. Outra simples maneira de ajudar a comunidade global e sair do consumismo doente por remédios, esta na escolha do que vamos comer em nosso prato.

Se a pessoa ao se alimentar, não se importa que o cadáver era antes um ser senciente (que era sensivel e tinha interesse em viver),  ao menos vamos propor a seguir outros motivos para sua reflexão: Qual o impacto que o ato de comer carne implica na fome mundial? Qual a relação com as doenças? Você poderia ter uma situação financeira melhor se adotasse uma alimentação menos industrializada sem produtos da exploração animal?  Leia alguns argumentos abaixo e outros nos links "Pelo Planeta" e "Curiosidades".

Erradicação da Fome no Mundo

Além de acabar com a crueldade animal, a conscientização vegana poderia (se houvesse boa vontade dos detentores do poder) resolver o problema da fome no mundo, que é um verdadeiro suicídio moral com o qual nossa sociedade convive. Todos os dias centenas de pessoas morrem de fome ao redor do planeta. Vidas que falecem a mingua por falta de alimento, numa terra onde há tanta fartura. Uma vergonha moral sem tamanho para todos nós seres humanos.

Os animais criados para fornecerem carne, ovos e laticínios aos seres humanos consomem uma quantidade imensa de vegetais que poderiam servir diretamente de alimento. Se consumíssemos os grãos que cultivamos em vez de dá-los aos animais, a escassez mundial de alimentos desapareceria praticamente da noite para o dia. Para se ter uma idéia, 100 acres de terra produzem carne para 20 pessoas, mas trigo suficiente para alimentar 240. 

O retorno de nutrientes de tudo que o animal comeu, proteínas e calorias com que foram alimentados, apenas 10% é recuperada na carne que comemos, o que significa que 90% dos nutrientes são gastos na manutenção do animal.

Ou seja: o animal vai suprir um décimo do que a quantidade de refeições que os mesmos nutrientes vegetais iriam oferecer as pessoas, caso se alimentassem diretamente destes.

Ou talvez a situação fique mais clara se pensarmos que os animais de abate recebem mais de 70% de toda a produção de grãos como: milho, aveia e soja.

E se compararmos os custos entre 1 kilo de proteína animal e 1 kg de proteína vegetal de igual capacidade nutritiva, chegamos a surpreendente porcentagem de que a de origem animal é 20 vezes mais cara.

Os terrenos de plantação existentes hoje já são suficientes para alimentar toda a população caso esta fosse vegan e se não fosse necessário alimentar os milhares de animais para abate. Assim não seriam necessários mais desmatamentos.

Um acre de terra usado para criar gado fornecerá apenas uma libra de proteína. No entanto, esta mesma terra, se usada para plantação de soja, produzirá 17 libras de proteínas.

Várias extensões de terra são usadas para criação de animais de corte. Estas terras poderiam ser muita mais produtivas se utilizadas para plantação de cereais e legumes para serem consumidos diretamente pelo homem. Um acre de terra produtiva pode produzir 80 toneladas de batatas, 60 toneladas de cenouras, 100 toneladas de tomates ou meia tonelada de carne (Soil & Water, Solo e Água, v38, U of Cal Cooperative Extension)

Em resumo: enquanto  alguns poucos ricos latifundiários estão estragando várias extensões de florestas para criarem mais lavouras (e assim destruindo toda a flora e fauna) e usando milhares de litros de água para investirem na industria da morte a fim de produzirem carne para os alienados comerem, milhares de pessoas morrem de fome em alguma parte do mundo. Pense global e haja localmente. Não deixe que a propaganda destas industrias lhe impeça de ver a realidade.

Preferimos não saber da realidade das pessoas em outros lugares, preferimos sermos egoistas e ficarmos apáticos na nossa "vidinha", esquecendo que todos somos irmãos e que poderiamos nos ajudar.